BLOG

Faço alimento artesanal, tenho que cumprir normas da vigilância sanitária?

Alimento artesanal

Produzir alimentos é gratificante mas também desafiador… E é desafiador principalmente para quem é pequeno, que produz alimento de forma artesanal. Por inúmeros motivos. E um deles (que está diretamente relacionado à minha área de atuação) é a extensa e complexa lista de normas sanitárias que devem ser seguidas. Por exemplo, existem normas que estabelecem as regras de higiene, manipulação, conservação, transporte e comercialização de alimentos. E normas que estabelecem como deve ser a rotulagem dos produtos alimentícios (tamanho de letra, o que deve ter de informação e o que não deve!).

Mas eu sou um pequeno produtor de alimentos, meu alimento é artesanal, faço tudo na minha própria casa! Isso tudo se aplica a mim?

Sim, sim e SIM!!! Pense comigo… independente se você é grande ou pequeno, se você fatura muito ou pouco, se você tem 100 funcionários ou se você trabalha sozinho! Porque o que importa é que você está oferecendo um alimento para consumo das pessoas. E a mesma pessoa que compra um alimento feito por uma indústria também compra um alimento feito por você, pequeno produtor! E aí entra o direito que essa pessoa tem de ter acesso a informações que vão ajudá-la a decidir pelo consumo ou não daquele alimento. Seja um alimento industrializado ou um alimento artesanal. E são as normas sanitárias que estabelecem todos esses cuidados.

Então, por onde começar a adequar o meu alimento artesanal às normas sanitárias?

Se o seu pequeno negócio está em andamento? Ou seja, seu produto já está sendo vendido? Se sim, minha sugestão é que você comece adequando o rótulo do seu alimento artesanal.

O rótulo de um alimento tem a importante missão de ser uma forma de comunicação entre o produto e quem o consome!

RÓTULO? Do meu alimento artesanal?

Isso! Lembre-se que o rótulo é a forma de comunicação entre o seu produto e o cliente! Portanto, ele deve ser visualmente atraente para estimular o cliente a conhecer o seu produto. Deve conter a sua marca, a sua identidade visual. Mas além disso, o rótulo deve conter:

  • Lista de ingredientes (em ordem decrescente, ou seja, começando do ingrediente em maior quantidade para o de menor quantidade)
  • Origem/fabricante. São os seus dados! Informações que tornem possível o cliente entrar em contato com você caso necessário
  • Prazo de validade: via de regra, todo alimento deve ter uma validade (salvo raras exceções previstas em legislação). Lembre-se que a validade está sempre associada à qualidade do alimento! Então, qual o prazo no qual você garante que o seu produto vai se manter fresquinho, gostoso, com boa aparência e textura? Mas se você puder ir além e ter mais segurança ainda na informação que vai passar ao cliente, o ideal é fazer uma análise microbiológica do seu alimento. A análise em um laboratório especializado em alimentos vai avaliar a qualidade do seu produto artesanal em termos de risco à saúde ou risco dele estragar antes da validade.
  • Conteúdo líquido (em peso ou em volume)
  • Lote: é pelo lote que qualquer produto é controlado, analisado e se for o caso, recolhido. O critério para definir o lote pode ser criado por você. Um critério simples e muito utilizado é usar a data de fabricação/produção como identificação do lote.
  • Informação nutricional obrigatória (ou tabela nutricional). A tabela nutricional apresenta informações importantíssimas que auxiliam a pessoa a fazer escolhas mais conscientes sobre o que ela consome!

A ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) elaborou uma cartilha muito legal com informações sobre rótulos de alimentos! Para conhecer, clique aqui.

E as informações sobre glúten? Lactose? Alergênicos?

Além da tabela nutricional existem outras informações importantes que devem constar no rótulo: contém/não contém glúten, presença de lactose, presença de alergênicos. São os chamados alertas.

Os alertas são importantíssimos para pessoas que possuem restrições alimentares, alergia ou intolerância. Além do glúten, da lactose e dos alergênicos, o rótulo deve alertar para a presença de fenilalanina e sacarose.

Bastante coisa né!! Sim e não. Em um primeiro momento vai dar um certo trabalho montar e levantar todas as informações para fazer o rótulo do seu alimento artesanal. Mas uma vez que o rótulo esteja pronto você só vai precisar mexer nele novamente se houver alguma alteração nas informações!

Para te auxiliar, elaborei um resumo sobre ROTULAGEM de alimento contendo as informações que devem constar no rótulo do seu alimento artesanal.

Mais pra frente vou falar com mais detalhes da tabela nutricional e dos alertas, fiquem atentos aos próximos artigos no Blog!

Abraço!

Angela Hara (maio/2018)

[print-me]

Grátis: 10 dicas de boas práticas

Deixe seu nome e seu e-mail e tenha acesso AGORA ao material gratuito com dicas sobre boas práticas de manipulação de alimentos!